Gordurosa, oleosa, nojenta




Você não odeia as embalagens de óleo? Isso! Óleo de comida. Aqueles que vêm numas embalagens de plástico compridas. Por que esses malditos potes estão sempre gordurosos, oleosos, nojentos? Quero dizer... assim... as embalagens de leite, não ficam cheias de leite por fora, nem as de catchup ou maionese ou quaisquer outras, mas as de óleo, essas desgraçadas estão sempre da mesma forma... gordurosas, oleosas, nojentas. Sempre que uso óleo para fritar alguma coisa, me apresso em lavar as mãos com bastante detergente e por que? Porque estão cheias de óleo, gordurosas, oleosas, nojentas. Mas hoje será diferente. Hoje porei um fim nesse império porco, nessa podridão, nessas latas engorduradas malditas. Hoje o óleo verá quem dá as cartas por aqui...

Lacrei tanto quanto pude a embalagem e lavei-a com detergente. Não medi esforços, usei quase todo o detergente que tinha a minha disposição. Não cometeria o deslize de não lavar direito diante de tão ardiloso inimigo. Lavei umas três ou quatro vezes, até sentir que a embalagem estava mesmo limpa. Não achei em momento algum que conseguiria, mas consegui. Até ouço o ranger do plástico quando esfrego meu dedo na embalagem.

Depois de guardá-la, respirei aliviado. Parece que algumas coisas podem ser resolvidas, fazendo-se um pequeno esforço. Ainda existe solução para a maioria das coisas que nos aborrecem. E tentar sempre parece idiotice, mas ser um idiota completo é direito de todo ser humano. A partir de hoje serei idiota mais vezes...

2 comentários:

Paulo disse...

sagaz mlk... ri mto com o discurso de guerra

É comigo??? disse...

Bom ler seus textos de novo,que bom que está de volta!

Postar um comentário